Home » Relato de Caso

Hemorragia pulmonar induzida por exercício (HPIE) em cavalo de vaquejada

2 novembro 2010 8.599 acessos

LEANDRO, E. E. S.1 TINÔCO, A. A. C.1 COSTA, M. S.1 MASCARENHAS, M. N.1 PALMA, V.A.1 RIZZO D.A.2 1- Médico Veterinário – Clinica do Rancho – Camaçari-BA. 2- Discente de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Espírito Santo

Introdução A hemorragia pulmonar induzida por exercício (HPIE) trata-se de uma condição em que sangue é encontrado nas vias aéreas logo após o exercício (MARLIN 2009), sendo uma das principais causas de queda de desempenho em animais de corrida como Puro sangue ingleses, Quarto de milha (QM) e Americam troter, porém, a incidência de HPIE em QM de provas rurais tal como tambor, baliza e vaquejada tem aumentado (BACCARIN 2005). A etiologia dessa doença ainda não é completamente elucidada girando em torno de duas teorias, a teoria do aumento da pressão transmural dos capilares pulmonares, relatando que durante o exercício, onde a pressão arterial pode ultrapassar os 100 mm de Hg, no momento da expiração a pressão intrapulmonar anula a pressão arterial, porém, na inspiração onde temos dilatação alveolar a diferença de pressão aumenta, elevando assim a pressão transmural de dentro para fora dos capilares levando a ruptura e micro hemorragias pulmonares. A outra teoria afirma que a hemorragia é de origem traumática devido a pressão que o ombro exerce na caixa torácica em certo momento do galope (quando os membros anteriores tocam o solo), havendo assim uma diminuição do compartimento cranial da caixa torácica e projeção dos pulmões cranialmente levando a choques contínuos e causando hemorragia (MARLIN 2009).

Objetivo Relatar a ocorrência de HPIE em um QM de vaquejada tratado com sucesso.

Descrição do caso Um cavalo adulto QM deu entrada na Clínica do Rancho (Salvador) com histórico de queda de desempenho e sangramento nasal pós provas de vaquejada.

Realizou-se o exame endoscópico (Figura 1) onde revelou presença de pequenas manchas de sangue e secreção na traquéia (Figura 2). Para confirmar a suspeita o animal foi submetido a exercício por 30 minutos no galope retornando ao exame endoscópico que mostrou aumento da quantidade de sangue nas vias aéreas confirmando a suspeita. A secreção na traquéia era, segundo o proprietário, devido a administração de um preparado caseiro (garrafada) via narina.

O tratamento prescrito foi aplicação de furosemida 1mg/Kg SID e N-acetilcisteína durante os cinco dias pós atendimento e 4 horas antes do início da prova metade da dose inicial de furosemida, e como a vaquejada consiste em corridas variadas e seqüenciais, diferindo do turfe, indicou-se também hidratação do animal com soro fisiológico e reposição eletrolítica nos intervalos das corridas. O proprietário relatou que o animal teve melhora significativa, não tendo recidivas de queda de desempenho e epistaxe pós prova.

Referências

  1. MARLIN D.J. Exercise induced Pulmonary Haemorrhage (EIPH). 11th Geneva Congress on Equine Medicine and Surgery, Geneva, (CH) 15 – 17 December 2009.
  2. BACCARIN R.Y.A. Diagnóstico e tratamento das pneumatias de esforço. Anais do II Simpósio Internacional do Cavalo Atleta – IV Semana do Cavalo. Belo Horizonte, UFMG, 2005 p.12 - 28.
1 voto2 votos3 votos4 votos5 votos (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...